Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. E para sua saúde, aqui estou para ajudar. Todas as semanas, novos posts são publicados e se algum lhe interessar, contacte para mais informações.

29
Mar 09

As dores de garganta comuns são frequentemente provocadas por uma inflamação das amígdalas, da faringe ou da laringe, cuja intensidade varia entre uma simples sensação de garganta irritada e uma dor intensa que dificulta o engolir. Estão geralmente associadas aos estados gripais, constipações ou a mudanças bruscas de temperatura, o que faz com que não surjam exclusivamente no Inverno, mas ao longo de todo o ano. Uma bebida gelada, numa tarde quente de Verão, pode desencadear uma dor de garganta.

As causas mais frequentes das dores de garganta são as infecções de origem viral, que se manifestam de uma forma mais moderada.

As infecções de origem bacteriana são menos frequentes. Nestes casos a dor é intensa, a garganta apresenta pontos brancos e verifica-se normalmente a ocorrência de febre.

Assim que os primeiros sintomas surgem, é importante não os ignorar, e tratá-los de forma adequada.

Mais vale prevenir-se:

- Mudanças bruscas de temperatura

- Correntes de ar

- Bebidas demasiado frias ou demasiado quentes

- Áreas fechadas, sem circulação de ar

- Tabaco, ambientes poluídos, utilização excessiva de ar condicionado

 


Mais de 50% dos adultos terão um episódio mais tarde ou mais cedo... São incómodas, desconfortáveis e muito, muito embaraçosas! Até a palavra custa a dizer... "Hemorróidas"! No entanto, não são um problema geralmente grave e com o tratamento adequado rapidamente passam à história.

 

O que são hemorróidas?

No canal do ânus, existe uma vasta rede de veias que se estende um a dois centrímetros desde o nível da epiderme até à zona acima do canal anal, onde se encontra com o recto. Quando as veias desta incham com sangue, aparecem as hemorróidas internas (acima do canal anal) ou externas (abaixo da epiderme).

 

Quais são os sintomas mais comuns das hemorróidas?

- Comichão em redor do ânus

- Vestígios de sangue no papel higiénico após evacuar

- Dor e desconforto durante e imediatamente após uma evacuação

- Inchaço visível em redor do ânus

- Sensação de não ter evacuado completamente

 

O que causa as hemorróidas?

Não estão bem esclarecidas as causas da doença hemorroidal, mas sabe-se que diversos factores favorecem o seu aparecimento:

- alterações do trânsito intestinal;

- emprego excessivo de alguns medicamentos (como laxantes);

- alimentação pobre em fibras e rica em especiarias, gordura e álcool;

- gravidez e parto;

- hereditariedade.

 

Conselhos

- Ingira alimentos ricos em fibra. O aumento do consumo de verduras, legumes e cereais auxilia a eliminação das fezes.

- Evite os temperos. Substitua a pimenta e os temperos tradicionais por ervas aromáticas, que não irritam o sistema digestivo.

- Beba muitos líquidos. A água e os sumos naturais facilitam a eliminação natural das toxinas pelo organismo.

- Evite o álcool. As bebidas alcoólicas podem provocar prisão de ventre.

- Faça exercício físico. Caminhe, pelo menos, 30 minutos por dia. É um começo perfeito.

- Evite permanecer muito tempo sentado. Seja no horário de trabalho seja na casa-de-banho a ler.

- Não ignore a vontade. Dirija-se à casa-de-banho sempre que tiver vontade e mantenha horários regulares.

- Não faça esforço. É frequente as mulheres grávidas terem a doença hemorroidal, depois do esforço do parto... Isso poderá acontecer sempre que fizer muito esforço para evacuar.

 

Tratamento

Consulte o médico se sofre de hemorróidas pela primeira vez, a fim de confirmar o diagnóstico e despistar outras doenças que possam provocar sangramento.

 

Atenção! Faça o tratamento até ao fim para prevenir a reinfecção.


 

Porquê cuidá-los?

Os pés estão habitualmente submetidos a um trabalho contínuo e é preciso dedicar-lhes uma atenção especial.
Com o passar do tempo, a diabetes pode produzir uma diminuição de sensibilidade nervosa e alterar a circulação sanguínea. Em consequência, os pés de algumas pessoas com diabetes têm maior risco de sofrer feridas e infecções.
 
Como se avalia o risco?
A sensibilidade nervosa avalia-se de diversas formas, sendo as mais usuais com o diapasão e o monofilamento.
O fluxo sanguíneo comprova-se através da pulsação em diversas partes das pernas ou através de um aparelho chamado doppler.
Quando a sensibilidade nervosa ou o fluxo sanguíneo estão abaixo de certos limites, as pessoas com diabetes devem tomar maiores precauções.
As deformações articulares, pé plano, e as zonas de pressão excessivas, facilitam o aparecimento de úlceras.
 
Cuidados pessoais
As pessoas em risco devem ser ensinadas pela equipa de saúde, e a prevenção mais eficaz pode ser feita pelo próprio doente.
Os cuidados pessoais baseiam-se fundamentalmente na:
·         Inspecção periódica de todo o pé.
·         Higiene diária e higiene adequada das unhas.
·        Escolha apropriada de calçado, incluindo as respectivas medidas, e meias. O sapato deve adaptar-se ao pé e não o pé ao sapato.
·         Prevenção de feridas. Não andar descalço, evitar fontes de calor directo e examinar o interior do calçado.
·         Estilo de vida saudável (não fumar, andar regularmente, evitar beber álcool e evitar comer gorduras animais…).
 
Atenção médica
A aplicação das medidas atrás mencionadas por parte dos doentes e o tratamento adequado e imediato das lesões, tem feito com que, nos últimos anos, se tenham reduzido as amputações nas pessoas com diabetes. Os antibióticos e a cirurgia arterial reconstrutiva têm sido decisivos para a obtenção de bons resultados.
publicado por Flor às 16:03

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13

15
17
19
20

23
25
27

31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO