Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Saúde Semanal

Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. E, como técnica auxiliar de saúde, aqui estou para ajudar.

Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. E, como técnica auxiliar de saúde, aqui estou para ajudar.

Saúde Semanal

13
Jun09

Perna cansadas, pesadas... alivie-as!

Flor

Sensação de peso, inchaço e formigueiro nas pernas podem ser causados pela má circulação venosa, por vezes aliada à retenção de líquidos. É fácil prevenir ou aliviar este problema que tem tendência para piorar com o calor.

 
 drenagem_hf
 
O Verão é uma época de que quase toda a gente gosta. Os dias são maiores e a temperatura convida a mergulhos e banhos de sol. Mas há pessoas que, nesta altura do ano, ficam com as pernas pesadas como chumbo e muito inchadas, sobretudo ao final do dia e quando está mais calor. Porquê? Sofrem de insuficiência venosa. Não é o seu caso? Se não se tratar, pode vir a ser.
Saiba quais as causas deste problema e como preveni-lo ou paliá-lo para que não chegue a ser grave.
 
O que é a insuficiência venosa?
Esta doença ocorre quando as veias não conseguem fazer o seu trabalho, ou seja, levar o sangue de volta ao coração, vencendo a lei da gravidade. Existem duas grandes causas para que tal aconteça:
·         Mau funcionamento das válvulas. Ao longo das veias existem válvulas que evitam que o sangue retroceda. Cada uma delas é formada por duas extremidades (línguas de tecido presas à parede do vaso), uma à frente da outra. Quando o sangue se dirige ao coração, as extremidades recolhem para o deixar passar; se quer descer, empurra as extremidades para baixo, as duas unem-se e fecham a passagem. Isto não acontece quando as válvulas estão danificadas.
·         Aumento do tamanho da veia. Quando as veias alargam, as válvulas não se tocam, fecham mal e o sangue retrocede. Quando existe insuficiência venosa, os primeiros sintomas manifestam-se antes do aparecimento de varizes visíveis. São: sensação de peso nas pernas, dor, cãibras nocturnas e calor ao nível do tornozelo (com sensação de formigueiro). Depois disso, aparecem as varizes e outras complicações mais graves, como úlceras varicosas e trombose venosa profunda.
 
Um problema associado: a retenção
Os casos de má circulação venosa podem favorecer a retenção de líquidos. Quando os vasos sanguíneos não drenam devidamente, aparecem edemas (acumulação de líquidos nos tecidos), sobretudo nos tornozelos e nos pés, aumenta a sensação de pernas pesadas e podem surgir cãibras.
São vários os factores que agravam este problema. Procure evitá-los:
·         Alterações hormonais. As hormonas femininas também influenciam a retenção de líquidos: manifestam-se na chamada síndrome pré-menstrual, que desaparece com a chegada da menstruação, na menopausa (e anos posteriores) e na maioria das gravidezes.
·         Passar muitas horas em pé ou sentada dificulta a eliminação de líquidos por parte do organismo.
·         Calor e excesso de peso. Influenciam negativamente a circulação venosa, pois provocam vasodilatação dos vasos sanguíneos.
·         Alimentação rica em sal. O sódio (presente no sal) restringe a eliminação de líquidos, uma vez que o organismo tenta neutralizá-lo através da retenção.
·         Prisão de ventre. Contribui para a absorção de toxinas que também entorpecem a eliminação de líquidos.
 
Por que razão aparece?
·         Estar muito tempo em pé (ortostatismo) dificulta o retorno do sangue. Varizes, inchaço e sensação de peso são, por conseguinte, bastante comuns em empregados de balcão, hospedeiras de bordo…
·         Sedentarismo. Quando não se mexem os músculos das pernas, que contraem as veias, nem se pressiona frequentemente a planta do pé no chão, a sangue dessa zona tem mais dificuldades em ascender.
·         Expor as pernas a fontes de calor. Se o fizer durante muito tempo, as veias dilatam. A exposição ao sol ou à radiação UV artificial, o aquecimento radiante, a depilação com cera quente, a sauna e o banho turco também são prejudiciais.
·         Herança genética. Se algum dos seus pais tem as paredes das veias mais frágeis do que o normal, é possível que também sofra deste mal, e não é de admirar que, mais tarde ou mais cedo, venha a ter problemas.
·         Alterações hormonais. Influenciam negativamente a insuficiência venosa por causa dos desequilíbrios entre estrogénios e progesterona.
·         Pressão excessiva nos membros inferiores. A obesidade, o uso de calças muito justas ou de saltos altos dificultam a circulação venosa.
 
Os pés também sofrem
O inchaço causado pela má circulação venosa e pela retenção de líquidos não se limita às pernas, também afecta os pés. Portanto, são prejudicados ou beneficiados pelos mesmos hábitos e situações. Para além disso, os pés suportam todo o peso do corpo (dentro de uns sapatos, às vezes, incómodos), o que os sujeita a um esforço maior do que as pernas. Quando o calor aperta, eis o que deve fazer aos seus pés:
·         Cortar as unhas ou, melhor ainda, limá-las a direito com os cantos arredondados. Se as cortar mal, podem ficar encravadas e causar dor, sobretudo quando tem os pés inchados.
·         Alternar banhos de água fria e quente para estimular a circulação.
·         Hidratar. Se usar um bom creme nos pés inchados, os sapatos tornam-se mais cómodos; caso use sandálias, secam menos e evita calosidades.
·         Massajar. Agarre o pé com as duas mãos e deslize-as desde os dedos até ao calcanhar, enquanto faz pressão; repita várias vezes.
 
Que tratamentos existem?
Dependendo do grau de gravidade do problema, pode recorrer a diferentes tratamentos: cremes de efeito frio, bandas frias, pressoterapia ou massagens de drenagem linfática. Também pode tomar alguns suplementos alimentares à base de plantas, com o aconselhamento do seu farmacêutico ou terapeuta. As mais utilizadas são:
·         Hamamélide. Os taninos que contêm melhoram o tónus dos capilares e a vasoconstrição. Os seus flavonóides aumentam a resistência das veias porque protegem as suas paredes da acção dos radicais livres.
·         Videira vermelha. Contém taninos e vitamina P (rutina): dão maior resistência às paredes venosas e diminuem a permeabilidade dos capilares, impedindo a formação de edemas.
·         Castanha da Índia. Com propriedades semelhantes às da videira vermelha, também tem um efeito anti-inflamatório.
·         Gilbardeira. Contém rutósido, um venotónico que favorece a contracção das veias e, portanto, circulação de retorno; e saponósidos esteróidicos que são vasoconstritores, diuréticos e anti-inflamatórios.
 
Como prevenir este problema
A actividade física, a alimentação, a postura, o calor… influenciam a sua circulação de retorno. Pode evitar que se deteriore, mudando alguns hábitos:
1.       Faça exercício. A cada passo que dá, os músculos das pernas pressionam as veias e empurram o sangue até ao coração, evitando que estanque. Os desportos mais recomendados são a natação, andar de bicicleta e fazer pedestrianismo, pois permitem uma boa mobilidade das extremidades inferiores de forma contínua.
2.       Evite a roupa muito justa, pois impede a circulação e promove a formulação de nódulos adiposos (celulite). Sempre que possa evite os saltos altos porque comprometem o correcto retorno venoso, favorecendo a ocorrência de varizes.
3.       Tonifique as veias. Aplique jactos ascendentes de água fria nas pernas ou mergulhe-as na piscina ou no mar, enquanto apanha sol.
4.       Levante-se de duas em duas horas do posto de trabalho e dê um pequeno passeio.
5.       Mantenha uma posição correcta. Cabeça levantada, costas direitas e barriga para dentro. Quando se sentar, não cruze as pernas, pois dificulta a circulação.
6.       Evite a depilação com cera quente. O calor e o puxão prejudicam as veias. Aplique frio antes e durante a depilação que extrai o pêlo pela raiz.
7.       Faça auto-massagens desde a ponta dos pés até à coxa com um creme para pernas pesadas. A drenagem linfática também é apropriada.
8.       Opte pela dieta mediterrânea. Inclua arroz e massa integrais, ricos em vitamina E, e frutas e verduras, cujos flavonóides combatem a inflamação e estimulam a contracção venosa.
9.       Levante as pernas acima do nível do coração sempre que puder. “Pedalar” deitada também alivia bastante.
10.   Mexa as pernas e os pés durante as viagens de avião. A mudança de pressão e estar muito tempo sentada podem provocar tromboflebite (formação de coágulos sanguíneos acompanhada de reacção inflamatória da parede da veia afectada).

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D